Home.
   
Leia os testemunhos.
Busca por palavra.
Busca por gênero.
Melhores testemunhos.
Mais lidos.
   
Envie seu testemunho.
   
Quem somos.
Fale conosco.
Indique este site.
Receber novos testemunhos no seu email .
   
Livros.
   
Bíblia on line.
Chat.
Cartão Postal.
 

Mande um email para o autor deste testemunho - elogie, apóie, conforte ou saiba maisRenata Kelly
Testemunho: 2º chance pra viver! Me chamo Renata Kelly, tenho 24 anos e estou aqui para contar o milagre que Deus fez em mim hoje, 28 de Maio de 2011. É uma história real de amor e fé, por favor, leia até o fim. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Há quatro anos, 4 de abril de 2007, tive um choque anafilático (choque anafilático é fatal a menos que o indivíduo receba socorro hospitalar imediatamente, tem convulsões, perda do controle vesical, inconsciência, acidente vascular cerebral em 1 a 2 minutos). Estava em casa e havia acabado de comer camarão quando tive o choque, uma parada respiratória cardíaca. Do que me lembro? Uma luz muito clara! Abri os olhos e vi uma médica que disse: Você é um milagre! Agradeça a Deus por ter uma mãe barraqueira (minha mãe chegou gritando no hospital que estava lotado), pois você tinha menos de 5 minutos de vida! A partir daí foi uma luta, fiz dezenas de exames e nada foi descoberto. Passei por vários especialistas e nenhum diagnóstico correto. Conforme exames, não foi alergia a camarão e não se sabe até hoje o que provocou esse choque, mas sobrevivi, por um milagre! XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Hoje, dia 28 de Maio de 2011 fazem 22 dias que estou com uma tosse constante. Tossindo a cada 5 e 10 minutos sem parar! Fiquei de cama, parei de trabalhar, parei de estudar, não conseguia conversar e a voz sumiu aos poucos. Fui parar no prontosocorro 6 vezes, vomitava muito de tanto tossir e passava mal todas as madrugadas. A cada vez que ia ao prontosocorro tinha um diagnóstico diferente: sinusite, rinite, possibilidade de tuberculose e pneumonia. E cada vez voltava com uma sacola de remédios, gastei 400 reais com remédios e a tosse não passava. Fiquei internada no Hospital da Luz, fiz tomografia, sofri com o exame de gasometria que é extremamente dolorido, onde se tira sangue de uma artéria no pulso com uma agulha profunda, fiz o exame por 2 vezes. Após a internação, cheguei em casa mal, ainda sem nenhum diagnóstico preciso, e por passar dias só tomando medicamento na veia, muitas injeções, exames, tomando 5 medicamentos de hora em hora sem fazer efeito, a tosse continuou na mesma proporção. MADRUGADA DE SEXTAFEIRA, 27 DE MAIO, às 3h da madrugada comecei a tossir demais, a vomitar muito e o pior: perder o ar. Estava morrendo, não podia respirar!!! Minha mãe desesperada estava me vendo morrer ali na sua frente. Vendo aquilo, ela saiu do meu quarto e desceu a escada. Eu ainda não conseguia respirar, não entendi porque minha mãe saiu de perto de mim! Passaramme muitas coisas pela cabeça, mas eu só queria respirar! Consegui! Consegui respirar ao ouvir um gemido que vinha do andar de baixo da minha casa, e eu disse com muita dificuldade: Mãe? Mãe? Consegui levantar e descer a escada. Vejo minha mãe debruçada na pia da cozinha, foi a pior cena que já na minha vida, toquei nela, ela caiu para trás, desmaiada, de olhos abertos! Naquele momento eu perdi minha mãe! Eu sacudia, gritava, chorava e nada. Com muita dificuldade peguei a chave e abri a porta, sai para o quintal e com a pouca voz que eu tinha gritava desesperada: Socorro, alguém me ajuda, me ajuda! Alguém me ouve... Olhei pro céu, só tinha a escuridão do céu, continuei gritando: Meu Deus me ajuda! Me socorre meu Deus! Entrei na cozinha de novo desesperada sem saber o que fazer, mas quando olhei pra minha mãe, ela se mexeu! Estava inconsciente, não se lembrava de nada, ficou sentada no chão sem reação, passando mal e eu passando mal também, mas tentando fingir que estava bem! Quando conseguimos nos acalmar um pouco, ela voltou em si e explicou que estava me vendo morrer, que não agüentou, sentiu que ia passar mal e saiu de perto de mim para eu não ver. Eu estava morrendo no andar de cima, minha mãe no andar de baixo por não suportar a dor de me ver naquela situação. . Naquele momento em que consegui respirar, puxei o ar, e em seguida ouvi o gemido dela. Deus me devolveu o ar, para que eu conseguisse descer a escada e socorrer minha mãe. Logo de manhã procuramos socorro da Lena e do Jairo, eles são meus chefes e estiveram do meu lado TODOS OS DIAS em que passei mal. Minha mãe explicou o que aconteceu na madrugada e eles falaram que isso foi o limite, que a situação já não dava para continuar assim. Pediram pra eu arrumar as minhas coisas que iam me levar para outro hospital e que eles teriam que deixar internada até descobrirem o que estava acontecendo comigo. Eu não queria, já estava sem esperança, estava totalmente roxa, já sem lugar para me furarem! Eu não queria ficar internada, sem diagnóstico de novo. Mas o Jairo já estava a caminho da minha casa e mesmo sem esperança, eu esperei ele chegar, para mais uma vez ir ao hospital. No caminho, pensando em como podia ajudar a mim e a minha mãe, o Jairo se lembrou de um médico que havia na mesma igreja que ele freqüentava, e na esperança desse médico nos ajudar, o Jairo ligou para ele, explicou a situação, e pediu ajuda. O Dr. José não podia me atender, estava na estrada e também é adventista, não trabalha aos sábados e estava no carro, na estrada, mas por telefone, ele receitou dois remédios para eu tomar até segundafeira, que era o dia que ele podia me atender. Dada a sugestão, eu aceitei com muita esperança! O Jairo chegou aqui em casa, ligou pro médico novamente, falou todos os remédios que eu estava tomando e o médico achou um absurdo a mistura das medicações sem precisão que eu estava tomando! Aceitei parar com os remédios e comprar esses outros dois que o Dr. José receitou, junto com sua esposa que também é médica. Desligaram o telefone e o Jairo foi a farmácia comprar os remédios para mim. Depois de 5 minutos que ele saiu, toca o telefone, era o Jairo ele falando que o Dr. José ligou no celular dele e pediu para que me levasse agora mesmo na casa dele, pois ele ia me atender! O Jairo chegou à minha casa novamente, pegou eu e minha mãe e fomos destino a casa do Dr. José. Os três com esperança e com fé de que agora estávamos no caminho certo. Chegando lá, ao olhar para ele, senti uma paz muito grande. Ele nos acolheu com todo carinho, olhou todos os meus exames, fez muitas perguntas, contei toda a história do choque anafilático que já tive, ele me examinou por muito tempo, ouvindo meu coração, minha respiração, analisando cada respirar. Foi uma consulta de mais de 1 hora e meia! Ele disse: Renata, sua tosse é alérgica! Você tem sim um pouco de sinusite, bronquite, mas a tosse é alérgica! Ele, que nunca havia me visto antes, me deu um abraço de pai, me acolheu, me chamava de Renatinha e dizia: Calma, fica tranqüila, Deus vai te abençoar, tudo vai ficar bem. Sua tosse vai passar! No mesmo momento ele pegou muitos remédios, muito mesmo! Começou a fazer a receita, anotou tudo, explicou tudo e na hora já me deu um medicamento:, uma bombinha onde puxo um pó que vai direto para o pulmão. Na mesma hora eu já senti alivio e no mesmo dia a tosse diminuiu mais de 50%. Ele me deu TODOS OS MEDICAMENTOS, para o tratamento de 3 meses. Detalhe: os medicamentos vão vencer a exatamente 3 meses. E ele disse: É realmente os remédios estavam te esperando. Eu, o Jairo e minha mãe saimos sem palavras da casa dele, sem saber como agradecer por tudo que ele e esposa dele fizeram por mim naquele momento. Saímos de lá com esperança e com fé de que realmente estávamos no lugar certo. Entramos no carro e como de costume, o Jairo disse: Vamos fazer uma oração. (Ele e a família são adventistas, são muito de oração. Nós oramos sempre que entramos no carro, quando saímos para fotografar, pra passear, para qualquer coisa, mas sempre com oração.) Ele fez a oração, agradecendo a Deus pelo que havia acontecido. E minha mãe emocionada, disse que jamais teria palavras pra agradecer tudo que ele e a Lena estavam fazendo por mim, pois são só meus chefes, e estavam me tratando como uma filha, o Jairo correndo de lá pra cá atrás de médico, de remédio. A Lena passando horas no hospital, enfrentando, questionando médicos, batendo no peito como se fosse minha mãe! Minha mãe emocionada disse: eu tenho uma dívida eterna com vocês! Exatamente após essa frase toca o celular da minha mãe: uma SMS! Ela leu e disse: meu Deus! Olha o que chegou aqui: VC SABIA Q EU TENHO ORADO POR VC? ENTAO VC NÃO ESTA PASSANDO DESPERCEBIDA POR DEUS NÃO, JOAO KTORZE HUM. Nós três nos arrepiamos, a SMS veio de um número totalmente desconhecido! Com prefixo 24!!! O celular da minha mãe é novo, só 3 pessoas tinham o número! Não conhecemos ninguém do interior do Rio de Janeiro! Corremos para a casa do Jairo e da Lena, explicamos tudo o que havia acontecido para ela, pegamos a bíblia e abrimos em João, 14 1. “NÃO SE PERTURBE O VOSSO CORAÇÃO! CREDES EM DEUS, CREDE TAMBÉM EM MIM.” Emocionados, agradecemos mais uma vez! Esse testemunho do choque anafilático (começo do texto) era para eu ter dado a 4 anos atrás e nunca fiz isso. Hoje eu entendo o por que... O testemunho ainda não havia terminado. Pois ele termina aqui. Sou cantora, ainda estou com a voz falha, não sei quando voltarei a cantar, mas não me preocupo com isso, pois a mais linda canção pode ser cantada através da minha própria vida, e a música desta história o Senhor já lançou em meu coração: “Meu Respirar” Este é o meu respirar Este é o meu respirar Teu Santo Espírito Vivendo em mim E este é o meu pão E este é o meu pão Tua Vontade Feita em mim E eu, eu nada sou sem Ti E eu, perdido (a) estou sem Ti. http:www.youtube.comwatch?vgFterAfrSLM XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX “Aos amigos” Minha vida parou nestas semanas sem ir pro curso, sem ir trabalhar, em cima de uma cama. E não podia deixar de citar aqueles que estiveram ao meu lado, com muita fé e só tenho que agradecer a Deus por tudo que Ele fez, por esses anjos em forma de gente que ele colocou no meu caminho: Minha mãe Nalva, que cuidou de mim em todos os segundos, que fez o impossível, que ficou todos esses dias sem dormir, se doando a mim. Minha mãe é o meu tudo! Lena e Jairo, jamais terei palavras para agradecer tudo que fizeram por mim, por todo cuidado, amor e preocupação como se fossem realmente meus pais Luis, que fez tudo que podia, fez o papel de pai no hospital Meu pai Osvaldo, minha família (tios e tias), mesmo estando longe, me deram muita força Minha vó Elvira, que veio dormir em casa pra fazer seus remédios caseiros e que fez eu tomar muito mastruz com leite (oh troço ruim!) DJ Beto Explosão, Binho e Norailde, Bruna e o papito Alcino pela correria em me levar para o hospital A Antonia que veio ficar comigo quando não tinha ninguém, e eu não podia ficar sozinha em casa por correr risco Debora e Andrew, que se doaram totalmente a mim. Debora me ensinou a tomar medicação com a seringa, esfriava minha comida, se preocupou até em me levar um secador para secar o cabelo que não podia ficar molhado... Andrew, me fez sorrir com suas besteiras, arrumou meu quarto e passou aspirador na casa (ai sim heim!). Esse casal maravilhoso foram os que mais me ajudaram nos dias mais difíceis que estive em casa me recuperando, e ajudaram muito a minha mãe também, serei eternamente grata. A Marcia. Essa sim me surpreendeu! Entrou escondida pelos fundos do hospital pra me ver (eu não podia receber visitas) e acompanhou desde o início todo meu sofrimento. Anjo que Deus me deu. Cenilza, Édna e Vanessa, pela visita e oração maravilhosa que fizeram em minha casa com a presença de Maria Nossa Mãezinha. E amigas de todos os momentos da minha vida, que sempre estiveram ao meu lado, rindo ou chorando, meus tesouros: Bruna, Tais, Édina, Rose, Barbara, Michele, Wanessa e Magda (amo vocês!) O Felipe S2, a todo momento preocupado, encheu meu celular de sms, esteve ao meu lado, me surpreendeu indo até o hospital inesperadamente, e adoçou minha noite amarga “). O Puga, pela companhia e apoio que me deu (obrigada pela salada de frutas que fez pra mim..rs) Bea e Toruh S2, por me fazerem companhia todas os dias que fiquei de cama pelo Twitter, tentando me divertir e deixar meus dias melhores (temos que marcar o cinema: Toruh e eu de cadeira de rodas e Bea de muletas S). A cada dia mais amo esses dois: o príncipe (Toruh) e minha carga pesada (Bea) S A turma de fotografia do Senac, que me deu uma força com desejos de melhores, Carol, por oferecer ajuda, e em especial o Nirio que lotou meu celular com suas sms de carinho e otimismo Michel, me viu uma vez e me deu toda atenção que podia me dar, mesmo sendo comissário, era voando e me mandando sms...rs Helder, meu anjo intercessor, Detti e o Grupo de Oração Servos de Maria, Paróquia Rainha da Paz E tantos outros que estavam rezando por mim, que me mandavam sms todos os dias, emails, recados no Facebook e Orkut com desejos de melhoras e orações. Obrigadas a todos e a cada um em especial... Ter amigos é muito bom, mas ter amigos que oram é como ter um tesouro. Que Deus abençoe cada um. Amo Vocês. Renata Kelly 28 de Maio de 2011 DEUS SEJA NOSSO TUDO, NOSSO RESPIRAR! “Ajudeme a divulgar este testemunho”.
Clique aqui e mande este Testemunho por email para um amigo Clique aqui e envie este Testemunho  para um amigo
Clique aqui e imprima este Testemunho
 

Sabado - 17/11/2018 - 23:53:04